Agravamento da ansiedade pode indicar Alzheimer em pessoas mais velhas

Uma nova pesquisa publicada pelo “The American Journal of Psychiatry”, associou o agravamento de sintomas causados pela ansiedade em pessoas adultas como um sinal de alerta para o desenvolvimento do Mal de Alzheimer. Segundo a pesquisa, esse agravamento da ansiedade pode servir como uma espécie de aviso para que os especialistas possam identificar o início do Alzheimer.

Os pesquisadores responsáveis pelo estudo identificaram que a beta amiloide, proteína associada ao Alzheimer, torna os sintomas da ansiedade mais significativos. Ou seja, quanto mais essa proteína é fabricada no corpo mais forte se tornam os sintomas da ansiedade.

Os cientistas descobriram em um outro estudo que essa proteína atrapalha a comunicação entre os neurônios, o que funciona como um gatilho para a perda de memória, que é um dos primeiros sintomas do Alzheimer. A proteína causa a má comunicação entre os neurônios e leva a pessoa a desenvolver a demência.

A atual descoberta feita por cientistas da Brigham and Women’s Hospital, localizada nos Estados Unidos, evidência que a proteína também causa outros tipos de distúrbios quando é fabricada em excesso pelo corpo. Dentre esses distúrbios neuropsiquiátricos está a piora dos sintomas da ansiedade.

Sendo assim, os cientistas concluiram que essa descoberta reforça a ideia de que uma piora da situação psiquiátrica de um paciente em idade mais avançada pode estar associada ao desenvolvimento do Alzheimer.

Para a pesquisa, os cientistas contaram com a ajuda de 270 indivíduos, sendo eles homens e mulheres com cognição normal na faixa etária de 62 a 90 anos de idade. O estudo acompanhou esses participantes por cinco anos.

Outros estudos relacionados já identificaram que a depressão é um sinal de desenvolvimento do Alzheimer quando a pessoa possui uma idade mais avançada. Segundo o estudo sobre a depressão, o sinal para o desenvolvimento da doença pode vir em 10 anos antes da doença de fato ser diagnosticada.

A conclusão atual evidencia que há uma possibilidade de diversos sintomas poderem ser utilizados como sinais para o desenvolvimento do Alzheimer, como é o caso do agravamento das doenças neuropsiquiátricas já comprovados por estudo, como a depressão e agora a ansiedade.