Embaixador brasileiro vai ser expulso da Venezuela

Essa resolução do governo venezuelano foi anunciada pela Assembleia Nacional Constituinte do país, através da sua presidente, Delcy Rodríguez. O embaixador brasileiro Ruy Carlos Pereira, não vai mais poder permanecer no país depois que foi considerado ‘persona non grata’ na Venezuela.

O embaixador não estava em território venezuelano quando foi anunciada essa decisão, já que ele estava passando o período de festas do final do ano no Brasil. O Itamaraty se pronunciou através de um comunicado, informando que se essa decisão for mantida, o governo brasileiro irá agir de forma recíproca com a Venezuela.

Segundo Delcy Rodríguez, além do embaixador brasileiro ter sido considerado ‘persona non grata’ na Venezuela, o representante dos negócios do Canadá também não vai poder continuar no país.

Essa decisão foi tomada no caso do embaixador brasileiro, em retaliação a maneira como os partidos atuam no processo eleitoral. Outro fator foi que a saída da presidente Dilma Rousseff do cargo, que foi considerado golpe de estado pela Venezuela. Depois da sua saída, o Congresso concordou com a cláusula de barreira, fazendo com que partidos menores não tenham atuação eleitoral.

De acordo com Delcy Rodríguez, isso não acontece em território venezuelano, que apresenta um sistema com vários partidos políticos e com diversas ideologias.

No caso do representante comercial canadense, o motivo foi a interferência persistente nos assuntos da Venezuela, apesar do país sempre apelar para que as convenções diplomáticas sejam respeitadas. O representante dos negócios do Canadá fez sempre declarações, inclusive pelo Twitter, onde acabou dando opiniões sobre a Venezuela, segundo declarou Rodríguez.

Em um comunicado, o Ministério das Relações Exteriores falou que o governo brasileiro ficou sabendo das declarações feitas pela presidente da Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela, e irá aguardar pelo posicionamento do governo venezuelano sobre toda essa situação. Caso a expulsão seja confirmada, será mais uma demonstração de que o governo de Nicolás Maduro continua apresentando atitudes arbitrárias, sem que haja qualquer tipo de negociação. O governo brasileiro irá tomar atitudes recíprocas em relação à Venezuela.

Depois do impeachment de Dilma Rousseff em 2016,  a Venezuela chamou de volta o seu embaixador,  atitude que também foi tomada pela Bolívia e pelo Equador.