BNDES prevê queda nos investimentos em infraestrutura e indústria do Brasil, por Felipe Montoro Jens

Uma pesquisa recente revelou que, nos próximos anos, o Brasil deverá sofrer quedas no investimento dos setores de infraestrutura e indústria. Mesmo levando em conta o fim da crise econômica e o plano de privatizações do governo federal, o país seguirá a tendência de desaceleração. Felipe Montoro Jens, Especialista em Projetos de Infraestrutura, reporta que, segundo o levantamento realizado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), é estimado que os investimentos médios entre os anos de 2017 a 2020 para as áreas mencionadas serão de R$ 225,3 bilhões/ano, o que representa 7% a menos do que os investimentos realizados em 2016, que foram de R$ 243,3 bilhões.

Conforme as informações transmitidas por Felipe Montoro Jens, os investimentos citados pelo BNDES são oriundos tanto dos setores privado como público, englobando projetos em fase de planejamento ou já iniciados.

No setor de infraestrutura, de acordo com o Comitê de Análise Setorial (CAS) do BNDES, o cálculo da média referente ao período compreendido será de aproximadamente R$ 104,6 bilhões, sendo R$ 114,9 bilhões para o ano de 2017, o que representa uma queda de 8% em relação aos R$ 124,8 bilhões alcançados em 2016.

Ainda seguindo as estimativas da instituição, o montante para 2019 deverá cair para R$ 97 bilhões e em 2020 ficar próximo a R$ 100 bilhões.

Felipe Montoro Jens noticia que, das nove áreas consideradas no estudo de infraestrutura no país, o setor de energia elétrica é, provavelmente, o que mais investirá ao longo do período com um valor estimado de R$ 39,5 bilhões até 2020, sendo 31% inferior ao investido em 2016.

Carlos da Costa, economista e diretor das áreas de Crédito, Tecnologia da Informação e Planejamento e Pesquisas do BNDES, comenta que o contato entre o banco e as empresas dos setores possibilita ter uma noção aproximada de seus planos futuros, o que ajuda nas projeções das estimativas econômicas. Contudo, Costa revela que “a tendência da infraestrutura, infelizmente, é continuar em queda”, lembra Felipe Montoro Jens.

A média anual para a indústria referente ao mesmo período pesquisado pode alcançar o montante de R$ 120,6 bilhões. Felipe Montoro Jens informa que entre as 12 áreas analisadas, o ramo de petróleo e gás foi o único que apresentou uma elevação relevante nos investimentos, atingindo o montante de R$ 71,3 bilhões até o ano de 2020.

O Especialista em Projetos de Infraestrutura informa que, conforme as opiniões de economistas, estas quedas estão relacionadas às incertezas quanto ao futuro da economia nacional e aos problemas dos governos, tanto federal como estaduais. Pequenas melhoras em setores como os da indústria não têm sido capazes de devolver a confiança aos empresários. Entretanto, Carlos da Costa salienta que um planejamento amplo e estratégico pode reverter a atual situação do Brasil. Como sugestão, na visão de Costa, para que esta mudança de cenário ocorra, o BNDES deve agir como “orquestrador” usando ferramentas que agreguem e proporcionem um ambiente com uma nova ótica sobre o futuro da infraestrutura no Brasil.