Bárbara Evans estreia como atriz na minissérie Dois Irmãos

Contracenando com o galã Cauã Reymond, a filha de Monique Evans estreia como atris na minissérie Dois Irmãos, livre adaptação da obra homônima de Milton Hatoum lançada pela Editora Companhia das Letras em 2000.

Livremente adaptada para a televisão por Maria Camargo e brilhantemente dirigida pelo diretor Luis Fernando Carvalho, que adaptou clássicos da literatura brasileira para o cinema (Lavoura Arcaica, de Raduan Nasser, que recebeu o Prêmio Camões em 2016, a maior honraria para um escritor de língua portuguesa) e para a televisão, como o eterno cânone Dom Casmurro (intitulado de “Capitu”, e escrito por Euclydes Marinho, roteirista de “Se eu fosse você 2” e autores de minisséries emblemáticas como “O brado retumbante”, “Felizes para sempre”)e A pedra do Reino (do paraibano ariano Suassuna, morto em 2014). Também dirigiu as novelas “Meu pedacinho de chão” e “Velho Chico”, ambas de Benedito Rui Barbosa, seu velho parceiro de longas datas.

Bárbara Evans interpreta na minissérie de 10 capítulos a personagem Lívia, que na infância foi pivô de um briga entre os gêmeos amazonenses Yakub e Omar, em que Omar rasga o rosto do irmão Yakub com uma garrafa de vidro quebrada, ao vê-lo beijando Lívia, numa sessão de cinema promovida na casa da vizinha Estelita, interpretada maravilhosamente por Maria Fernanda Cândido, quando tinham treze anos.

Bárbara entra em cena no capítulo 4, em que Lívia, já adulta, volta a casa de Zana e Halim pais dos gêmeos, para relacionar-se com Yakub.

Nesse reencontro Bárbara protagoniza cenas de sexo selvagem com o galã Reymond, em que tem os seios expostos quando o casal decide fazer amor ao ar livre, no vasto quintal da casa dos pais de Yakub.

Lívia e Yakub se casam, o gêmeo prospera como engenheiro em São Paulo. Chamaram atenção dos internautas brasileiros o escasso texto de Bárbara, em sua primeira aparição no quarto capítulo: “Licença” e gemidos, foram também tuítes de alguns comentaristas virtuais da peça dramatúrgica, que realçaram a baixa carga textual reservada a Bárbara, chamando-a de “muda”.

O estilo teatral e poético de Luis Fernando Carvalho e a magnífica interpretação do elenco completo dão a tônica a adaptação da obra de Hatoum vencedora do Prêmio Jabuti, na categoria romance, em 2001. Uma fotografia amarela, capaz de encarnar o passado no qual se passa a história e o calor da Região Norte em que é ambientada (Manus, Amazonas); os cortes com belíssimas imagens da Selva Amazônica colaboram para fazer de Dois Irmãos um marco na Televisão brasileira, e talvez a melhor produção televisiva de 2017.